Apoiadores:

Apoiadores:
Apoiadores: Hidromel Old Pony

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Draumur, os sonhadores

No meu primeiro post nessa seção da página vou falar sobre um grupo de dança: o Draumur, que é de São Paulo/SP e existe desde 2011.


O nome do grupo vem de “sonhar”, em Islandês, e remete à fuga da realidade que os grupos de temática medieval representam para seus membros. Diversos aspectos da Idade Média cativam e inspiram, e a dança não poderia deixar de ser um deles. Com essa inspiração, o grupo recria e reinterpreta passos e coreografias populares na Idade Média, sem fazer distinção de regionalidade.

Atualmente a atividade do Draumur é desenvolvida com o objetivo explícito de realizar apresentações e entreter o público em eventos de temática medieval. Por sinal, eles sabem que dançar é ainda melhor do que assistir, e fazem questão de interagir com seus espectadores. Há sempre uma coreografia preparada para ensinar ao público, pelo menos.


Como não há registro histórico escrito de danças na Idade Média propriamente dita, o grupo se baseia primariamente no material em vídeo de grupos europeus, uma vez que lá as danças são tidas como folclóricas e passadas de geração para geração. Adicionalmente, são utilizados como referência também dois livros de danças renascentistas.

Como começou o Draumur


Mas tudo começou de uma forma bem mais simples: contam os membros que, na animação proporcionada pelo show do Taberna Folk na Virada Cultural de 2011, surgiu a ideia de alguns amigos que ensaiariam algumas danças para curtirem juntos nos eventos da cena medieval. Naquela época, eram apenas três coreografias bem simples.

Desde então, a coisa apenas cresceu. Pouco tempo depois do início dos ensaios, foram chamados para o AABB Comics Festival, que foi o primeiro de muitos convites. Com essa demanda, o grupo se tornou um “hobby sério” para os membros. O recorde de apresentações foi na Virada Cultural de 2012, quando fizeram quatro apresentações em dois dias. No último Jantar Medieval do Taberna Folk, em 2014, aproximadamente 400 pessoas interagiram e dançaram junto com o grupo.

O Draumur hoje


O Draumur hoje conta com dezesseis membros e doze coreografias, incluindo aquelas três iniciais, que foram modificadas para ficarem mais dinâmicas. As fundadoras Clarissa Souza e Raíza Klippel se orgulham de ter iniciado um projeto tão contagiante que agregou cada vez mais membros. Foi o primeiro e permanece como o único grupo com esta finalidade em São Paulo. Justamente por isso, eles estão na maioria dos eventos da cena medieval e são eventualmente chamados para casamentos e outras festas com dança. Estarão no Jantar Medieval do Taberna Folk, que acontece amanhã em Cosmópolis, e também no Sesc Vila Mariana para a Virada Cultural, na semana seguinte em São Paulo.

Recentemente, o grupo foi entrevistado pelo portal IG, com direito a cenas de um ensaio e os membros dançando devidamente caracterizados:


Os dezesseis membros se revezam nas apresentações em eventos e festas para as quais são chamados. Por razões de organização e esquemas nas danças, o grupo é composto por números iguais de homens e mulheres. De tempos em tempos, são organizados pequenos processos de seleção para admitir novos membros. Se você tem vontade de entrar no grupo, deve esperar que eles abram um desses processos e participar das oficinas de dança (que anunciaremos aqui no blog).

Caso você queria apenas assistir e conhecê-los fora dos eventos, os ensaios acontecem todos os domingos no Parque da Juventude a partir das 10h da manhã, nas ruínas ou perto da biblioteca.

Curtam o grupo no Facebook e acompanhem o blog deles:


https://grupodraumur.wordpress.com/

2 comentários:

  1. Muito legal o projeto....e o texto também, muito bem escrito. Parabéns!


    ResponderExcluir
  2. Sou suspeita para falar, mas o Draumur é um grupo muito divertido! Agradecemos a postagem, que ficou muito bem escrita e com informações que até os integrantes não tinham tanta ciência assim! rs Este ano teremos coreografias novas para animar o público! Nos aguardem nos próximos eventos da cena!

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário sobre este artigo