Apoiadores:

Apoiadores:
Apoiadores: Hidromel Old Pony

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Férias Medievais em Portugal - Castelos e Feiras, Parte I: Óbidos

Oi, medievalistas!

Antes de falar um pouco sobre o Mercado Medieval de Óbidos, irei me apresentar. Sou brasileira, moro em São Paulo e já frequento os eventos do meio medieval brasileiro há uns 6 anos. Também faço parte do Draumur, grupo de danças medievais e renascentistas palacianas.
Castelo de Óbidos
Como boa entusiasta do medievalismo, conhecer terras europeias é sempre uma enriquecedora experiência e este ano tive a oportunidade de conhecer Portugal. Falarei sobre os diversos festivais e castelos que visitei em uma semana, mas o primeiro artigo aqui no Cena Medieval não poderia deixar de ser sobre Óbidos.



Castelo, muralha e casas muito bonitinhas
A cidade de Óbidos, que embora lembre “óbitos“, não tem nada relacionado com morte. Na realidade o nome vem de Oppidum, que significa povoação ou cidadela fortificada. Fica a 80km ao norte Lisboa e por sua localização à beira mar contém registros de habitação desde o paleolítico. Fundada em 308 a.C pelos Celtas, no Século I foi conquistada pelos Romanos, depois por Visigodos e Mouros, até que em 1148 D. Afonso Henriques expulsa os Mouros após uma campanha de conquistas por Santarém e Lisboa.

Óbidos também carrega o título de “Mui nobre e sempre leal” por permanecer leal a D. Sancho II durante as investidas do Conde de Bolonha, futuro rei D. Afonso III (Séc XII). Até 1834 Óbidos pertenceu à Casa das Rainhas por ter sido presente de muitos reis às suas rainhas, inclusive de D. Dinis à Rainha Isabel de Aragão, que são personagens centrais na Viagem Medieval (a maior feira medieval de Portugal, que também pude conferir e sobre a qual irei falar posteriormente). Óbidos também foi palco da Batalha da Roliça, onde Napoleão sofre sua primeira derrota na Guerra Peninsular. Passou por terremoto e muitas outras histórias.

O Castelo, que atualmente funciona como pousada, foi eleito em 2007 uma das Sete Maravilhas de Portugal. Suas muralhas têm até 13 metros de altura e se estendem por 1.565 metros. A vista de cima da muralha e dos torreões é linda, só não é recomendável subir nela pessoas com mobilidade reduzida ou labirintite, pois não há proteção entre a muralha e o chão.

Sobre a minha viagem


Este ano tudo conspirou a meu favor e cheguei em terras portuguesas no sábado, 23 de Julho.



O trajeto Lisboa - Óbidos levou cerca de 1 hora de carro e a emoção é grande ao ver, ainda da rodovia, o belíssimo castelo de Óbidos nos recepcionando. A cidade é bem pequena e se estende pelos arredores do castelo. Nosso hotel era bem lado da muralha e foi muito fácil de encontrar.

Todos os anos o Mercado Medieval de Óbidos é regido por um tema. Esta edição foi marcada pelos medos causados pela guerra, medo da miséria, medo da peste, medo das Trevas: “Os medos na Idade Média”.


Segue um trecho que está no site:
“Sob o escudo do medo viveis, ó gentes que per ora passais por terras deste reino; tus, os que temeis a guerra, moléstias e outras maledicências, per ora aqui estais, entre bobos e jograis que males espantais.

Ora esgardae, como se fosteis presentes, que outros tantos ausentes menos fortuna an tido e por tais padecimentos penaram, que este é tempo de espantar demónios.”

Horários: Quintas e Sextas das 17h à 01h, Sábados e Domingos das 13h à 1h

Há três possibilidades de ingresso: A entrada “normal” por 7 Euros (ou 5 Euros, caso você vá caracterizado respeitando as regras do evento); a entrada que dá direito ao Serão Medieval, 38 euros e se você for munícipe do Conselho de Óbidos a entrada é free.

Bilheteria do evento
Moeda: É possível pagar em moeda contemporânea, vulgo Euro, mas há postos de trocas de moedas e você pode adquirir seus Torreões de Óbidos. Foram moedas projetadas em 2003 pelo escultor José Aurélio e são muito bonitas.

Posto de câmbio
Moedas do evento e um copo em forma de torre que veio na compra da laranjada
Adquiri o ingresso pela internet antes da viagem, escolhi o Serão Medieval para mim e para minha querida mãe. Incluía: aluguel de traje + lugar especial reservado no torneio + ceia medieval (também em um lugar de destaque).

Sobre os trajes:

Antes mesmo de adentrar a vila de Óbidos existe uma bilheteria e o local de aluguel de trajes. Há uma separação entre masculino e feminino e dentro destes, camponês e nobreza. Há uma variedade enorme de vestidos, escolhemos a câmara da nobreza e chuto haver cerca de 80 vestidos (simples, mas lindíssimos).

Ó dúvida cruel!
Há um portal que te leva para dentro da muralha e é possível visitar a vila de Óbidos. As ruas são muito floridas, é um espetáculo à parte. Há casinhas, lojinhas vendendo artesanatos e lembrancinhas, restaurantes, cafés, hotéis, igrejas, museus, praça, correio. 

Muitas lojinhas vendendo artesanato e comidinhas 
A ginja é uma bebida típica da cidade, item obrigatório de consumo quando se visita Óbidos. É um licor de cereja bem gostoso que pode ser consumido em taças pequenas, copos de shot ou copinho de chocolate.


Ginja, licor de cereja
Indo reto pela rua principal da vila, creio que se ande cerca de 400 metros até chegar numa igrejinha. Logo em frente há outra bilheteria do evento e mais um portal que se abre numa rampa e finalmente você está oficialmente no Mercado Medieval de Óbidos.



O caminho era ambientado num acampamento mouro (árabes que invadiram a Europa por volta do século VII até serem banidos no século XV). Havia tendas confeccionadas artesanalmente em pelo de dromedário e cabra, armaduras, armas, alvos, panelas, mesas com comidas.







 Descendo o morrinho, você chegava na liça.


Quando chegamos na liça, haviam escudeiros fazendo demonstração com as espadas. No sentido oposto já havia algumas barracas de comidas diversas, crepes, doces bem servidos, carnes.







Achei que era apenas isso, minha surpresa foi enorme quando passamos por mais um portal e... Aháá! Aí sim…


Castelo de Óbidos! Uma vista maravilhosa de todo o Mercado de Óbidos. Eram muitas barracas, comidas, bebidas, souvenirs, sapatos, bolsas, arcos, escudos e espadas para as crianças; lenços, tavernas, cerâmica, tear, tiaras de flores, etc. 










Latrinas

No alto da arquibancada ficava o local do Serão Medieval
Mapa do evento
Estava um calor forte e fomos procurar por bebidas. Enquanto pagava por uma laranjada, passaram 2 dromedários na rua!


Da temática sobre os medos na Idade Média confesso que vi pouco, apenas uma encenação de uma ou duas figuras sombrias realizando torturas, mas talvez seja porque tivemos pouco tempo para andar no evento.

Fomos nos situar para saber aonde era o palco principal e o local do serão.

Em uma das áreas de alimentação pedimos água e cerveja medieval. Descobrimos também um pão maravilhosíssimo! Pão com chouriço, assado em forno com madeira de pinho e feito na hora! Rústico, meio duro por fora, super macio por dentro. Não tem como explicar, era muito bom mesmo!


Água e Cerveja Medieval


Pão com chouriço - o melhor pão da viagem!
Começamos a ouvir uma música vinda do palco e resolvemos conferir, era a banda Sons da Suévia. Muito carismáticos e animados! Adorei o som e a interação com o público.

Grupo Sons da Suévia

Torneio de Cavaleiros

Estava dando quase 19:30 e tínhamos o Grande Torneio de Cavaleiros para assistir. Lá tivemos um lugar especial reservado por causa do ingresso que comprei. Ficamos acomodadas bem ao centro da liça e as apresentações foram muito emocionantes!

Mestre de cerimônias do Grande Torneio
O torneio já começou divertido. A combinação do mestre de cerimônias + cavaleiros + sonoplastia foi muito bem pensada e gerava todo um clima de expectativa e emoção. Eram 4 cavaleiros representando suas regiões:

  • D. Joaquim Von Malberg (Terras germânicas) - Cavaleiro Vermelho
  • D. Diego (Terras serranas) - Cavaleiro Amarelo
  • D. Vasco (Terras de Sintra) - Cavaleiro Azul
  • D. Olivier de Languedoc (das distantes terras da Gália) - Cavaleiro Negro
Nitidamente o cavaleiro negro era misterioso, jogava sujo e era inescrupuloso, além de ser o mais ovacionado pelo público. Inclusive encontrei nas lojinhas da vila souvenirs dele. 

O torneio era dividido em etapas:

  • Acertar no centro do escudo
  • Cabeça do turco - como não era possível usar a cabeça de um turco de verdade, foi usado um pepino preso numa estaca
  • Argola de 3 tamanhos diferentes
  • Lança no feno
  • Justa
  • Duelo de espadas
Acertar o escuro, ganhava o cavaleiro que acertasse mais ao centro
Pepino tomando o lugar da cabeça do turco
D. Diego cortando o pepino ao meio com sua espada
D. Vasco pegando sua primeira argola
D. Diego na semifinal da argola, era tão pequenina!
Os ânimos esquentavam e eles acabavam resolvendo as coisas no duelo
D. Olivier de Languedoc não querendo ser desclassificado persuade o mestre de cerimônias com a espada entre suas pernas
Justa
D. Diego pede para duelar por sua honra
D. Olivier de Languedoc acaba derrotado
No final do torneio o mestre de cerimônias pede para que o cavaleiro negro seja poupado. Os cavaleiros se apresentam e todos agradecem. Foi realmente muito imersivo e emocionante! Eles fazem parte do grupo "Os Cavaleiros do Tempo".

Subimos para o jantar, aguardamos uns 20 minutos enquanto preparavam o local. Ao entrarmos, moças nos direcionavam à lavagem das mãos. Colocamos as mãos em cima de um balde rústico e uma moça jogava água com pétalas para limparmos as mãos enquanto outra moça ficava ao lado com toalhinhas.

Havia dois tronos ao centro que foram ocupados por um casal de estrangeiros acompanhados de 3 filhas. Sentamos logo ao lado deles (ou seja, bem no centro). Vista privilegiada para o palco.

Jantar


A mesa estava linda com pães, queijos, azeitonas, tremoço, chouriço. A apresentação da mesa já gerava uma expectativa super positiva do que estava por vir. Vinho, sangria, água e suco de laranja à vontade. Realmente os lugares eram limitados, creio que cabiam umas 40 pessoas. Senti que valeu muito a pena os 38 euros.



Após um tempo chegou uma fatia super generosa de pão com omelete de alheira com torricado.

Eles retiravam os pratos e passado um tempo serviam um novo.

Pão com omelete de alheira com torricado
Foi servida uma sopa, podíamos escolher entre caldo verde ou misturadas à guerreiro (eu tenho impressão que eles falaram outra coisa, pois com certeza eu teria pedido essa dos guerreiros rs). De qualquer forma, o caldo verde estava muito gostoso também.

Caldo Verde
O próximo prato foi uma salada de polvo, muito bem temperada que só de lembrar já dá água na boca

Polvo
Neste momento já estavam todos bem satisfeitos. Quando olhei para o lado, um falcão! Um moço da falcoaria estava passando pelos visitantes do Serão Medieval e pude até carregar a linda ave de rapina no meu braço.

Retirados os pratos, trouxeram um pão-prato e nos serviram uma carne no espeto, arroz de feijão e migas (uma farofa muitos gostosa).

Infelizmente sofremos os poréns da dependência tecnológica e fiquei sem bateria no celular (já durante o torneio dos cavaleiros) e a câmera da minha mãe não captava muito bem fotos com pouca luz, mas acreditem, estava TUDO lindo e excelente!

Carne no espeto, arroz de feijão e migas
Arroz doce
Por volta da meia noite (no verão o dia escurece após as 21h, então perdemos bastante a noção do tempo em Portugal), para encerrar o jantar, fomos servidas com arroz doce, bolo com passas, pão de ló, café e ginja.

Durante o repasto tivemos lugar privilegiado para assistir as atrações que foram ao palco! E foi muito mágico (não encontrei palavra melhor para expressar essa sensação) acompanhar o anoitecer com o Castelo de Óbidos ao fundo.

Olha essa vista! Sensacional!
Vimos os Goliardos


Toupeyrus Medyevus, grupo de dança de Óbidos. Inclusive estava bastante ansiosa para ver as danças dos grupos europeus.


O Saltimbanco de Charneca (sem foto) fez as vezes de um bobo da corte. Talentoso, carismático e muito divertido! Chamou várias pessoas ao palco com diversas histórias e apetrechos. Excelentíssimo! Acho que o espetáculo dele durou quase 2h, ficamos tão entusiasmadas assistindo que nem me lembrei de tirar foto, uma pena.

Embora não tenhamos registrado com fotos, grande parte do público chega mais ao anoitecer. A arquibancada estava tão cheia que as pessoas ficavam nas saídas laterais assistindo, também era mais difícil de andar pelas ruas do evento pela quantidade de pessoas. As atrações (bandas, grupos de teatro, etc) se apresentavam pelas ruas também.

Já um pouco preocupadas em devolver as vestes e retornar ao hotel, conseguimos ver um pouco do grupo Matabichos enquanto esperávamos que o público dissipasse para podermos descer.


Meu plano era retornar no dia seguinte antes de voltarmos a Lisboa e com essa esperança deixei de comprar algumas coisas que queria, como uma garrafa de hidromel ou mais um daquele pão com chouriço.

Como estávamos com o cronograma apertado, não conseguimos ver todas as partes do evento, mas com certeza valeu a pena a visita! Minha mãe que nem é fã de medievalismo gostou muito, imagina quem já é fã! Inclusive ela estava com receio de ter apenas ela de "japonesa velha" (ela nem é velha rs). Realmente, em relação ao público oriental, quase não vimos olhos puxados, mas o público do Mercado de Óbidos é muito diverso e com certeza com muito mais famílias e idosos do que nos festivais brasileiros. 

Nem todos estavam à caráter, mas toda a decoração e paisagem já eram um charme.

Tudo tão lindo, bem decorado, pessoas atenciosas. Ainda estou com aquele gostinho bom da imersão de andar entre toda aquela gente.

Chegamos no hotel por volta da 1h. Fui dormir muito feliz e realizada, ouvindo na cabeça as músicas tocadas durante os espetáculos e desejando viver aquilo mais um pouquinho.

Super recomendo e recomendo o ingresso do serão medieval também, mesmo sendo mais caro, vale cada torreão investido para ter uma chance tão única como esta! Um dia de visita achei pouco, talvez em dois dias desse para aproveitar bem e acompanhar todas as atrações.

Para mais informações: http://mercadomedievalobidos.pt/

Referências:
Wikipedia

5 comentários:

  1. obrigada pelo relato, foi como estar lá tb.

    ResponderExcluir
  2. Renata...vc descrevendo as cenas e interagindo com as fotos ..me senti em Portugal e na cidadela medieval...Obrigada por uns 20 minutos viajei e sonhei....Valeu!!!!

    ResponderExcluir
  3. Renata, Boa Noite!

    Me apaixonei pelo seu relato! Poderia mandar a relação de pacotes de turismo, hoteis que utilizou etc?

    Meu email é jefferson_jhbs@hotmail.com

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  4. Que maravilha de resenha, me senti lá e voltando do tempo. Parabéns!!
    Que vontade de visitar, depois dessa viagem mental.

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário sobre este artigo