Apoiadores:

Apoiadores:
Apoiadores: Hidromel Old Pony

terça-feira, 16 de maio de 2017

Férias Medievais em Portugal - Castelos e Feiras, Parte III: Parque e Palácio de Pena

Olá, medievalistas!

Chegamos à terceira parte do relato das minhas férias medievais em Portugal!

Oh! Que vista! Quantas cores!
Ainda falando sobre a cidade de Sintra, após a entusiasmante visita ao Castelo dos Mouros (veja o post aqui), minha mãe e eu fomos até o Parque e Palácio de Pena!


Foi uma caminhada de meia hora mais ou menos, entre sair da muralha interna do Castelo dos Mouros e chegar até a bilheteria do Parque de Pena. Ficamos cerca de 20min na fila da bilheteria.


Parque e Palácio de Pena
Ingresso: 14 Euros
Horário de funcionamento: Parque 09h30 – 20h00, último bilhete 19h00 e Palácio 09h45 – 19h00, último bilhete 18h15

Achamos o ingresso um pouco salgado, mas considerando o tamanho do parque, é um valor razoável. Assim que passamos pelos portões, paramos em uma lanchonete para descansar um pouco. O sol estava forte e o caminho era íngreme. O Palácio fica no topo de um pico rochoso.

E lá vamos nós subir mais um pouco!

Sobre o Palácio


No século XII foi construída uma capela dedicada à Nossa Senhora da Pena e em 1503 a capela foi reconstruída, se tornou o Real Mosteiro de Nossa Senhora da Pena e foi doada à Ordem de São Jerônimo. Após 300 anos de existência, o mosteiro ficou abandonado com o final das ordens religiosas em Portugal e em 1838 D. Fernando II comprou o mosteiro e arredores.

Retrato de D. Fernando de Saxe-Coburgo e Gotha, autoria de Joseph-Fourtuné Layraud, 1877. Óleo sobre tela. 230 x 135,5 cm. Palácio Nacional da Pena. ©PSML | Emigus, 2012

D. Fernando II, conhecido como o Rei Artista, realizou diversas obras no mosteiro com o intuito de transformá-lo em sua casa de veraneio. Conhecido por seu gosto pelo romantismo, ampliou o palácio e inspirou-se nos jardins românticos para planejar o de Pena, com direito a vegetação proveniente do mundo todo. O Palácio novo foi pintado de ocre e o Palácio velho (antigo mosteiro), de rosa-velho.



Mapa do Palácio de Pena


O Palácio é uma mistura de referências de diversas épocas, seja na fachada, nos azulejos ou nas mobílias. A parte externa do palácio possui caminhos de ronda, torres de vigia e até uma ponte levadiça.

"Fantasiosa em extremo, a fábrica arquitetónica da Pena colhe nos 'motivos' mouriscos, góticos  e manuelinos  da arte portuguesa muito da sua inspiração (edifícios vermelhos), bem como no espírito Wagneriano dos Castelos de Schinkel  do Centro da Europa (edifícios amarelos)." (Portugal Virtual)


Certeza que esse armário deve ter várias gavetas secretas!!

A ponte levadiça passou praticamente despercebida, pois era onde os funcionários do palácio bipavam os ingressos para que os visitantes pudessem passar pelos túneis que levavam ao pátio.



Foi uma mudança de paisagem enorme, pois há 1h atrás estávamos no Castelo dos Mouros, que é basicamente um terreno cheio de pedras… e agora estávamos numa construção toda colorida e cheia de azulejos e pequenos detalhes.


Claustro, parte do Palácio Velho e revestido por azulejos hispano-mouriscos


Pórtico do Tritão, famoso pelo seu mistério. É também conhecido como o “Pórtico Alegórico da criação do Mundo”
Em 1910 Portugal se tornou uma República e D. Manuel II foi o último rei a residir em Pena, que se tornou um museu nacional. Em 1995 O Palácio e Parque de Pena se tornaram Paisagem cultural e Patrimônio da humanidade pela UNESCO.

Família Real Portuguesa. A parte de fundo mais escuro marca quem habitou o Palácio



No Terraço da Rainha há um relógio de Sol que possui um canhão

Vista do Terraço da Rainha

Salão Nobre

Olha esse teto! Todo cheio de detalhes!
Sala de jantar e louças

Uma das cozinhas do Palácio

Vitrais que fazem parte da exposição

Busto de D. Fernando II
Nem todas as dependências do palácio estavam disponíveis para visitação, algumas estavam em reforma.

Ficamos cerca de 1:30 no Palácio e fomos conhecer também o parque, onde passeamos por mais 1h. Confesso que já estávamos bastante cansadas, inclusive não tiramos tantas fotos.

O parque é tão grande que conseguimos passear por apenas ⅓ dele provavelmente!! 

"Considera-se que a estátua representa o Rei D. Fernando II como eterno guardião de sua obra."

No parque há cerca de 500 espécies arbóreas do mundo todo. Algumas partes do parque pareciam um pouco abandonadas, o que é uma pena.


Eu ainda queria ir até a Quinta da Regaleira, então paramos na lanchonete para mais um pitstop. Decidimos pegar um tuktuk até a Quinta e valeu cada euro, pois foi muito divertido e emocionante! Saiu 5 euros cada pessoa (no final, seria o valor do Tour Bus, mas acredito que tenha sido muito mais emocionante ter feito a subida da serra à pé e depois descido de tuktuk).


Essa foto de Turislua Turis Tuk é cortesia do TripAdvisor


Próxima parada: Quinta da Regaleira!
Fontes:

http://www.parquesdesintra.pt/parques-jardins-e-monumentos/parque-e-palacio-nacional-da-pena/

http://www.historiadeportugal.info/parque-e-palacio-da-pena/
http://portugalvirtual.pt/sintra/pt/palacio-pena.php


Veja também aqui no Cena Medieval:





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário sobre este artigo