Apoiadores:

Apoiadores:
Apoiadores: Hidromel Old Pony

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Resenha do III Aniversário Schola Militum: III Feira e IV Banquete!

Fotos por Sergio Scarpelli

Salve, medievalistas!

Nesse final de semana aconteceu um dos eventos mais aguardados por mim no meio medieval: o aniversário do grupo Schola Militum.


Se você acompanha o Cena Medieval, talvez tenha visto nosso post em maio deste ano divulgando o evento, e entenda o motivo pelo qual eu estava tão ansioso. O banquete realizado ao final do evento é uma das experiências mais imersivas do meio medieval.

O Schola Militum é um grupo de HEMA (Historical European Martial Arts) e HMB (Historical Medieval Battle) de São Paulo, e o evento foi a comemoração do terceiro ano de existência do grupo. Dessa forma, foi a terceira feira, mas o quarto banquete, uma vez que eles também contam o banquete realizado quando do nascimento do grupo.

O fato do evento ter sido realizado num local diferente, e novamente com entrada gratuita, atraiu um público diferente, o que é sempre ótimo para o meio. Dessa vez, o local foi o Clube Zodíaco, em Santo André/SP. Por um lado, um local de acesso um pouco mais complicado, mas por outro um espaço amplo e aberto para realização da feira.

A Feira


O aniversário do Schola é um evento que tenta, na medida do possível, trazer referências realmente históricas.

O Taberna Folk tocou pela primeira vez no evento, fazendo duas entradas, uma durante a feira e a outra durante o Banquete. A primeira entrada foi completamente acústica, o que foi bem bacana, e à pedido da organização teve seu início todo focado em canções medievais históricas.


Houve também na feira a apresentação teatral de um trecho do Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, um dos textos mais importantes do teatro medieval português, interpretado pela Cia. Marie Antoiniette.




Além disso, houve apresentação de lutas medievais do grupo Ordo Draconis Belli, e estande de arquearia com o grupo Uybassy, ambos presentes em muitos eventos medievais em SP, além de um bom número de expositores do meio compondo a feira.




E, é claro, apresentações de luta pelos próprios membros do Schola!



O grupo Schola Militum faz questão de manter a gratuidade na entrada da parte diurna do evento, para recriar na medida do possível as famosas feiras da Idade Média, que eram ambientes abertos e de grande troca cultural.

Arena de Soft Combat


Apenas a entrada para o banquete, que acontece à noite, é paga. O valor esse ano foi de R$ 150,00 por pessoa, incluindo comida e bebida à vontade.

Convites do banquete, selados com cera vermelha: pura elegância


O Banquete


Houve cerca de 100 convidados no banquete, praticamente o dobro do ano passado! Haja comida e cerveja!




Pela programação, o banquete deveria ter começado às 19h00, com expectativa de duração até as 23h00, mas houve um atraso considerável para o começo e para o término, circunstância especialmente preocupante por ser um domingo. E infelizmente, com o aumento do número de convidados, a organização se atrapalhou um pouco, acontecendo um intervalo bem maior do que seria o ideal entre um prato e outro.

Os organizadores, contudo, mostraram humildade ao lidar com a frustração dos convidados, fazendo esclarecimentos e pedindo desculpas pela demora. Considerando esse cuidado e a qualidade do serviço que presenciamos na edição do ano passado (veja aqui a resenha), temos certeza de que o percalço será superado na edição do ano que vem.

Em compensação, a comida em si atendeu às nossas expectativas, que já eram altas! Junto com cada prato, vinha uma breve explicação histórica.

Os courses foram os seguintes:


Primus
Tredure (caldo de lugumes, engrossado com ovos e pão), acompanhado de pão e manteiga


Secundus
Cormanrie (pedaços de carne de porco temperados com vinho e assados), acompanhado de arroz de forno e molhos cameline e honey mustard


Tertius
Torta Húngara (massa delicada, recheada com carne de porco e frango)


Quartius
Metz (pedaços de carne grelhados), Rique Manger (omelete com maçãs)


Bellaria
Rede Rose (delicado creme à base de rosas e leite de amêndoas)

Tudo delicioso e preparado primorosamente. Assim como no ano passado (veja aqui a resenha), o que eu mais gostei foi a entrada. Esse Tredure estava divino, muito bem temperado, e eu teria pedido mais uma porção no final, se já não estivesse entalado de tanta comida.

A cerveja servida dessa vez foi uma Household Ale artesanal, fornecida pela cervejaria Covil.

E durante o banquete, a música ambiente por conta do Taberna Folk e do Olam Ein Sof, ou seja, o melhor fundo sonoro possível para um banquete como esse.



Como dissemos inicialmente, os únicos problemas foram realmente o atraso no cronograma e o atrapalhamento da equipe, que teve dificuldade em atender a todos. Temos certeza, contudo, de que na próxima edição eles estarão mais bem preparados para o crescente número de convidados do banquete.


Enfim, o banquete do Schola é um evento com uma proposta bem diferenciada no meio. Temos por aí grandes eventos com diversas atrações interessantes, mas este é o único que se propõe a proporcionar aos convidados o gostinho do que seria a experiência de um nobre num banquete medieval, com pratos preparados com boa pesquisa histórica.

Tarcisio Lakatos e Juju Couto, os dois principais organizadores

Esteve na feira ou no banquete? Comente o que achou!


Veja também aqui no Cena Medieval:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário sobre este artigo