Apoiadores:

Apoiadores:
Apoiadores: Hidromel Old Pony

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Celebração do Dia do Orgulho Pagão em São Paulo

Hail, amigos medievalistas!

Hoje quero falar de um tema que exige algumas explicações. No dia 17 de Outubro, um sábado, vai acontecer a Celebração do Dia do Orgulho Pagão em São Paulo.


Primeira explicação: o que isso tem a ver com a cena medieval?


Bom, a Idade Média é um período da história de aproximadamente mil anos, que engloba inúmeros territórios e culturas, principalmente da Europa. Quando falamos numa cena medieval no Brasil, falamos de grupos e eventos cujas temáticas estão relacionadas com diversos aspectos da Idade Média, inclusive a mitologia e religiosidade dos povos desse período.

Um bom exemplo são os grupos brasileiros que recriam a Era Viking, pois o povo nórdico, durante boa parte da Idade Média, foi essencialmente pagão. Dessa forma, um evento como esse, embora não seja especificamente medieval, tem bastante relação com a Idade Média e, portanto, com a cena medieval no Brasil.

Banner oficial do Dia do Orgulho Pagão em São Paulo

Breve contextualização (ok, não tão breve assim...)


Um dos principais temas que se estuda em relação à Idade Média é a cristianização, que foi um processo muito lento e progressivo. Praticamente todo o período medieval é marcado por conflitos entre cristãos e praticantes de crenças tradicionais denominadas pagãs (conflitos esses que de certa forma culminaram com a Caça às Bruxas na Idade Moderna).

No caso do Brasil, é importante mencionar que, embora nossos colonizadores tivessem uma tradição cristã, nossa cultura desde cedo englobou diversos elementos animistas e xamanistas, derivados das tradições africanas e indígenas. Embora o termo “pagão” seja etimologicamente incerto, tais elementos não-cristãos podem ser considerados pagãos, numa concepção mais moderna e abrangente do termo.

E nos últimos anos, alguns dos cultos que foram perseguidos e entraram em conflito com o cristianismo durante a Idade Média tem ressurgindo de diferentes formas no mundo e no Brasil. Esses movimentos, que são influenciados pelas crenças pagãs pré-cristãs da Europa e que são extremamente diversificados, tem sido chamados em algumas situações de Neopaganismo.

Um exemplo proeminente é o Odinismo: embora não se pudesse falar em uma religião nórdica organizada antes da cristianização da Escandinávia, a mitologia nórdica que está registrada nas Sagas e nas Eddas está ganhando popularidade e adeptos pelo mundo, inclusive no Brasil, ainda que nossa formação cultural não tenha tido nenhuma influência dos povos nórdicos. Trata-se de um movimento oriundo de pura e simples identificação das pessoas com esses elementos mitológicos históricos.

Com efeito, alguns dos temas que eu já abordei aqui no blog tem relação direta com o paganismo. O Odin’sKrieger, por exemplo, é um festival de bandas brasileiras, pagão já no nome (que significa Guerreiros de Odin, em alemão), e a edição de 2015 contou com duas bandas cuja temática principal é a cultura viking/nórdica (Arthanus e Hugin Munin) e uma banda cujas letras falam basicamente da mitologia celta (Tuatha de Danann).

O Orgulho Pagão no Mundo


A origem da palavra “pagão” está no termo em latim paganus, que significa “camponês”. Inicialmente, o termo era usado pelos cristãos no Império Romano para se referir às pessoas que ainda acreditavam nos antigos deuses romanos (que por sua vez vêm da mitologia grega). Ao longo do tempo, o termo em latim passou a ser usado para se referir a pessoas praticantes de qualquer religião que não fosse o cristianismo, inclusive de forma pejorativa, principalmente no ocidente latino.

É justamente por isso que hoje se pode falar em “orgulho” pagão: na época em que vivemos, de crescente liberdade de expressão (inclusive de religiosidade), algo que já foi no passado perseguido ou tratado como inferior pode ser exposto de forma aberta e orgulhosa.

O evento que vem acontecendo anualmente em São Paulo é ligado ao Pagan Pride Project, uma organização sem fins lucrativos que visa promover o entendimento do paganismo, apoiar instituições de caridade e tornar as comunidades pagãs pelo mundo mais próximas. O logotipo da organização mostra vários símbolos considerados pagãos rodeando a Terra.



O Dia do Orgulho pagão, portanto, é um evento anual realizado em diversos locais do mundo. O formato do evento varia enormemente de acordo com o local em que é organizado, indo desde um pequeno encontro até um grande evento num parque, com direito a performances e feiras de comida/artesanato.

Dia do Orgulho Pagão em Chicago, em Setembro de 2013
Contudo, o Pagan Pride Project estabelece algumas diretrizes que devem ser seguidas pelos organizadores dos eventos relacionados; as principais são:

Não há uma data específica, mas os eventos devem ocorrer dentro da janela especificada pela organização (entre agosto e outubro), para celebrar o equinócio de outono.

O principal objetivo dos eventos deve ser educar o público sobre as tradições pagãs. Os oradores podem focar, por exemplo, em esclarecer equívocos e noções erradas que as pessoas tem sobre o paganismo.

Os eventos devem ser sediados em locais públicos e a entrada deve ser obrigatoriamente gratuita. A caridade é um dos valores pregados pela organização, então é possível que haja coleta de doações na entrada, mas ninguém deve ser impedido de entrar pela falta de doação.

Endereço da página do projeto (em inglês):

Em 2015, há outros eventos relacionados ao Pagan Pride Project acontecendo em outras partes do Brasil, por exemplo:

23/08/2015 - Dia do Orgulho Pagão Curitiba

04/10/2015 – Dia do Orgulho Pagão Manaus
(www.facebook.com/orgulhopagaomanaus)

11/10/2015 – Dia do Orgulho Pagão Recife
(www.facebook.com/events/1473973459573154)

25/10/2015 – Dia do Orgulho Pagão Rio de Janeiro

Os links são para as páginas dos eventos no facebook.

Enfim, o que vai rolar na Celebração do Dia do Orgulho Pagão em São Paulo:


Seguindo as diretrizes do Pagan Pride Project, o evento em São Paulo promoverá Workshops, Palestras, Apresentação de Danças, Músicas, Oficinas, Combates Medievais, Exposições de Artistas Plásticos e Fotografia, bem como a Feira de Artesanato.

Como ingresso, pede-se a cada pessoa que contribua com 2kg de ração para cães ou gatos.

Uma das apresentações de dança será a performance do Draumur, grupo de São Paulo especializado em danças medievais e renascentistas palacianas.

Apresentação do Draumur no Dia do Orgulho Pagão em São Paulo de 2014
Quanto às apresentações de luta, serão realizadas pela Ordo Draconis Belli, grupo de combates medievais sediadoem São Paulo.

Apresentação da Ordo Draconis Belli no Dia do Orgulho Pagão em São Paulo de 2014
Link para o evento no facebook:

Se interessou? Entre na página do face e saiba mais. E assim que o cronograma completo das atividades for liberado, divulgaremos por aqui.


Nos vemos por lá!

4 comentários:

  1. Olá... achei interessante a publicação, um tema pouco debatido. Tenho estudado sobre o tema e penso fazer meu TCC nesta temática: ''Remanescente da cultura pagã medieval no Brasil'' não sei, mas acho que é por esse caminho. Tenho debruçado-me muito também sobre esoterismo e imaginário social como elemento norteador de pesquisa, quem sabe o grupo possa me auxiliar com seus acréscimos e considerações (já me tomando a liberdade para). Espero que o autor do post dê seu parecer- se ocorrer procurarei entrar em contato...abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece ser um bom tema, principalmente por ser, como você disse, pouco debatido. Ficamos felizes que o artigo tenha acrescentado algo para suas pesquisas.
      Um abraço!

      Excluir
  2. Estava navegando na net em busca de sites com conteúdo medieval e me deparo com esse absurdo que é esse site. Então os "medievalistas" aqui comemoram o....dia do orgulho pagão? A Idade Média JAMAIS FOI PAGÃ. Isso até faria mais sentido se se tratasse de culturas nórdicas ou vikings, mas jamais medieval. Vcs cultuam uma idade média muito fora da realidade, um verdadeiro espantalho construído sem respaldo histórico nenhum. Não se dissocia a idade média da glória da cristandade, com suas catedrais góticas, cantos gregorianos, monges, cantigas de amor, cavalarias, cruzadas, castelos e mosteiros. Falta de estudo e compromisso histórico dá nisso.

    ResponderExcluir
  3. Caro Anônimo,
    As suas noções de "estudo" e "compromisso histórico" parecem estar associadas com as suas crenças e religiosidade, infelizmente limitando a sua visão. Além disso, você sequer parece ter lido o texto, pois nele explicamos as motivações do artigo com uma contextualização histórica.
    Mas já que você defende o estudo, e já que você próprio citou as culturas nórdicas e vikings, procure ler um pouco sobre a Era Viking, que academicamente é situada entre os séculos VIII e XI e constitui uma parte importante da história medieval da Escandinávia, Grã-Bretanha, Irlanda e do resto da Europa em geral. Isso sem falar em todas as tradições pagãs que foram incorporadas pelo cristianismo enquanto este se espalhava pela Europa...
    De toda forma, desejamos boa sorte com seus estudos!

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário sobre este artigo