Apoiadores:

Apoiadores:
Apoiadores: Hidromel Old Pony

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Outubro/2016 - Hidromel Ferroada

Salve, medievalistas, fãs de Tolkien e apreciadores de hidromel!


Chegamos ao quarto artigo de nossa coluna de hidroméis, e o rótulo de Outubro é o Ferroada, de Contagem/MG!

Neste quarto artigo de nossa coluna de hidroméis, vamos falar de um hidromel que todos os fãs de Tolkien deveriam provar, pois a homenagem já começa no nome.

Ainda não viu nossa coluna de hidroméis? Dê uma olhada!

E já que estamos falando este mês de um hidromel que homenageia o grande mestre da fantasia medieval, vale a pena explorar essa referência literária.

Um pouquinho de literatura


No mundo de fantasia medieval criado por J. R. R. Tolkien, onde se passam as histórias de O Hobbit e O Senhor dos Anéis, Ferroada é o nome de uma espada élfica utilizada pelos hobbits Bilbo e Frodo, que tem a propriedade mágica de brilhar quando há orcs por perto. A homenagem é clara no nome e no rótulo do hidromel:


Nesse mesmo mundo, os Valar (algo como os deuses do universo tolkeniano) serviam em seus festivais um néctar chamado Miruvórë, produzido a partir das flores de Yavanna. Os elfos de Valfenda, por sua vez, produziam o Miruvor, descrito como um cordial de aroma agradável e extremamente revigorante – supostamente uma versão da bebida dos Valar.

Elrond dá a Gandalf uma garrafa de Miruvor quando a Sociedade parte de Valfenda para destruir o Anel. Durante a nevasca em Caradhras, o mago cinzento dá a cada um dos membros da comitiva um gole da bebida para reviver seus membros congelados e fatigados. Ele deu a todos um segundo gole quando eles pararam para descansar, e um terceiro quando eles entraram nas Minas de Moria.

'Fale, amigo, e beba.'
Como quase tudo em sua obra, Tolkien buscou inspiração no mundo real para desenvolver a ideia do Miruvor. Obviamente estamos falando do hidromel, que é uma bebida alcoólica derivada da fermentação do mel com água.

Se quiser conhecer um pouco mais sobre a história do hidromel no mundo real, dê uma olhada no nosso artigo sobre esta maravilhosa bebida.

A experiência


Para acompanhar o Ferroada, preparamos Oyle Soppes, uma sopa de cebolas e cerveja, temperada com pimenta do reino e açafrão.


Trata-se de uma receita inglesa existente no mínimo desde o século XV, feita para ser servida com pão.

O Ferroada é um hidromel bem carbonatado, que forma uma boa quantidade de espuma quando é servido (comparável a um vinho espumante). Segundo o produtor, isso se deve ao tipo de levedura utilizado e a uma segunda fermentação, que acontece na própria garrafa.


Tecnicamente falando, trata-se de um melomel, pois o Ferroada tem um ingrediente adicional: o suco de pera, que é adicionado ao mosto para fermentar junto com o mel. Melomel, por definição, é o hidromel feito com frutas (geralmente morangos, amoras ou coisas do gênero – as chamadas berries em inglês).

No entanto, dependendo da fruta que é utilizada, o hidromel recebe um nome ainda mais específico, como cyzer (hidromel com suco de maçã) e pyment (hidromel com uva). No caso, como a maçã e a pera são frutas bem similares, o Ferroada está muito mais próximo em sabor de um cyzer do que de um melomel típico, mas como não há um nome específico na terminologia hidromeleira para hidromel com pera, chamamos de melomel mesmo.

Um hidromel nunca está novo, caro leitor. Tampouco está velho. Ele envelhece precisamente o quanto o produtor pretende que ele envelheça.
Com efeito, se você nunca tiver bebido hidromel, pode ter a impressão de que está bebendo uma cidra (fermentado de suco de maçã). O Ferroada é levemente cítrico, com gosto e aroma de mel bem sutis (baixa doçura).

Dados técnicos


O Ferroada é produzido atualmente com mel de florada silvestre (ou seja, proveniente de diversas flores, e não de uma flor específica), embora os produtores já tenham trabalhado no passado com mel de eucalipto e de laranjeira também. O tempo de fermentação varia entre 15 e 40 dias, dependendo da variedade. A variedade que nós experimentamos é a "Tradicional", ou suave, pois eles produzem ainda uma outra mais seca, que não provamos.

Esse brilho vem da vela atrás da garrafa? Ou será que o hidromel está brilhando para indicar que há vikings por perto?
A levedura utilizada é de um tipo próprio para fabricação de espumantes, que é, como dissemos, um dos motivos para a alta carbonatação.

A graduação alcoólica da variedade que experimentamos (tradicional) é de 10%.

(informações fornecidas pelo produtor)

O valor de venda da garrafa é R$ 25,00 (750ml).

Página do Ferroada no facebook:


E você, já provou o Ferroada? Nos conte o que achou!



Veja também os outros hidroméis que já experimentamos nesta coluna:


Julho – Bee Gold, de Sorocaba/SP

Agosto – Velho Oeste, de Xanxerê/SC

Setembro – Alfheim, de Cachoeirinha/RS

2 comentários:

  1. Faça uma resenha do Hidromel Lord de SP também, é um dos melhores hidromeis que já tomei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, faremos com certeza! Estamos dando prioridade no momento aos produtores que entram em contato conosco, mas o plano é aos poucos falar de todos os hidroméis da cena ;)

      Excluir

Deixe o seu comentário sobre este artigo